English
- +

30/01/2019

Intervenções digitais de saúde baseadas na Web para perda de peso e mudança de hábitos de vida em adultos com sobrepeso e obesidade: revisão sistemática e metanálise

Resenha elaborada pela pesquisadora Alline Maria Rezende Beleigoli

A obesidade é um problema de saúde pública em todo o mundo e atinge cerca de 20% dos adultos no Brasil. As intervenções presenciais no tratamento da obesidade demandam um grande número de recursos humanos e de tempo, gerando um grande ônus para os indivíduos e para o sistema de saúde. Neste contexto, a Internet é uma ferramenta atraente para a promoção de programas de perda de peso. Anonimato, acessibilidade 24 horas, capacidade de atingir múltiplos usuários e acessibilidade, inclusive em locais remotos com pouco acesso a sistemas de saúde, são potenciais benefícios associados a programas de perda de peso baseados na Web.

O objetivo do estudo publicado na revista Journal of Medical Internet Research, em janeiro de 2019, foi investigar a eficácia de intervenções para perda de peso baseadas exclusivamente na Web (sem uso de outras tecnologias ou de qualquer componente presencial) comparada à de intervenções que não utilizam nenhum tipo de tecnologia, em indivíduos com sobrepeso ou obesidade. A mudança no peso corporal foi o desfecho de maior interesse.

Para isso, realizou-se busca por ensaios randomizados realizados em adultos com IMC>=25 kg/m 2 , nas bases de dados PubMed/Medline, SciELO, Lilacs, PsychNet e Web of Science, até julho de 2018. Foram também pesquisadas referências de revisões sistemáticas sobre o assunto publicadas previamente. Os resultados dos diferentes estudos foram combinados por meio de técnicas de meta-análise de efeitos aleatórios. O risco de viés de cada estudo e o grau de confiança na qualidade das evidências foram avaliados pela metodologia GRADE.

Entre os 4071 artigos encontrados, após aplicação dos critérios de inclusão e exclusão previamente estabelecidos pelos autores, 11 estudos foram incluídos na revisão, totalizando cerca de 1500 participantes. Todos os estudos selecionados aplicaram algum tipo de técnica de mudança comportamental. Os resultados mostraram que, em relação às intervenções que não utilizaram tecnologia, as intervenções por meio da internet levaram à maior perda de peso apenas em estudos com menos de 6 meses de seguimento e naqueles cujos participantes do grupo de comparação não haviam

recebido nenhuma intervenção. Em estudos que avaliaram a perda de peso após 6 meses da intervenção e naqueles que havia intervenção presencial no grupo controle, não houve diferença entre a perda de peso associada a intervenções via internet e aquelas que não utilizaram nenhum tipo de tecnologia. O grau de confiança associado a esses resultados foi classificado como moderado, principalmente devido à elevada taxa de abondono dos participantes dos estudos e às grandes diferenças entre os tipos de intervenção realizados nos grupos de comparação.

Esses resultados sugerem que, em curto, mas não em longo prazo, a perda de peso de intervenções via internet pode ser maior do que de intervenções que não utilizaram tecnologia alguma e que, provavelmente, as pessoas que mais se beneficiam são aquelas que não terão acesso a programas presenciais de perda de peso. Ademais, concluiu-se que o engajamento dos participantes é ainda um ponto fundamental a ser trabalhado pelas intervenções para perda de peso realizadas por meio da internet.

CLIQUE PARA LER O ARTIGO

 

Edição: Luiz Sérgio Dibe

 
 
Compartilhe: