Série “Ciência com a Mão na Massa”: pesquisa do IATS vai mapear efeitos da pandemia sobre a saúde mental dos profissionais na linha de frente

Estudo envolve profissionais de saúde que atuam em cinco capitais brasileiras

Metade dos médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e técnicos de enfermagem que responderam ao questionário como participantes do estudo Avaliação dos Riscos de Profissionais de Saúde que Cuidam de Pessoas com Covid-19, no segmento que analisa saúde mental, apresentaram sintomas da doença durante o período em que estiveram na linha de frente. Este dado compõe a série de informações que passou a ser analisada pelos pesquisadores do IATS, que integram a atividade, uma das ações de pesquisa do INCT relacionadas com a pandemia.

O estudo envolve profissionais de saúde que atuam nas Regiões Metropolitanas de Belém, Fortaleza, Porto Alegre, Recife e São Paulo. Entre os objetivos estão avaliar o desenvolvimento de sintomas de transtornos mentais e avaliar categorias de risco para a infecção Covid-19, em coortes de diferentes profissionais de saúde, em relação ao grau de exposição e uso de equipamento de proteção individual.

Com a investigação, os pesquisadores pretendem estimar prevalência e incidência de sintomas de depressão, ansiedade, uso problemático de álcool e estresse pós-traumático por categoria de profissionais de saúde em diferentes ambientes de assistência; estimar prevalência e incidência de infecção Covid-19, taxas de absenteísmo e, ainda, avaliar a associação entre a sintomatologia psiquiátrica e infecção pela Covid-19 com taxa de absenteísmo, frequência do uso de EPI e grau de exposição laboral à doença.

Este relato é o primeiro da Série “Mão na Massa”, com a qual o IATS irá compartilhar, todas as semanas, informações de interesse da sociedade sobre o andamento de suas pesquisas, em especial sobre aquelas financiadas com recursos públicos confiados ao INCT. Acompanhe nossos canais de divulgação e boa leitura.

Pesquisa fortalece atuação em rede no INCT

O projeto é uma cooperação interinstitucional e congrega pesquisadores do Instituto Aggeu Magalhães da Fiocruz de Pernambuco, Universidade Federal de Pernambuco, Universidade de Pernambuco, Universidades Federal da Fronteira Sul, Universidade de Brasília e Fitec. Estão na equipe a pesquisadora Celina Maria Turchi Martelli, que teve seu trabalho mundialmente reconhecido pela pesquisa sobre Zika e microcefalia em bebês, e Ricardo Arraes de Alencar Ximenes, integrante do Comitê Gestor do IATS. A divisão o estudo sobre saúde mental tem a coordenação da psiquiatra Luciane Nascimento Cruz e a participação dos pesquisadores Mirian Cohen e Jorge Zaduchliver.

Também compõem a equipe os pesquisadores Wayner Vieira Souza, Maria Cynthia Braga, Pedro Miguel dos Santos Neto, Jessica Barbosa, Fanny Julia Cortes, Thália Velho Barreto de Araújo, Carlos Brito, Luciana Caroline Albuquerque Bezerra, George Santiago Dimech, Patricia Ismael de Carvalho, Demócrito Miranda Filho, Ulisses Montarroyos, Joanna d’Arc Lyra Batista, Marcela Lopes Santos, Henrique Ferreira Nunes, Nivson Santos de Jesus, Ricardo de Souza Kuchenbecker, Patrícia Klarmann Ziegelmann e Noêmia Teixeira de Siqueira Filha.

Comentários desativados