Proposição de programa de gestão de saúde baseada em valor para a linha de cuidado do AVC isquêmico no Brasil

Apresentação

Visando maior transparência e responsabilidade com os participantes de pesquisa, a disseminação de dados de ensaios clínicos é considerado um dos processos de boa prática articulados pela Organização Mundial de Saúde. Compartilhar os resultados com indivíduos e o público leigo após a participação em um estudo é um imperativo ético. No entanto, a disseminação de resultados dos ensaios clínicos é geralmente realizada dentro da comunidade de saúde e os esforços de divulgação – além das publicações científicas – são limitados, com escassas recomendações quanto aos itens a serem incluídos na comunicação de dados e como divulgá-los.

Deste modo, o presente estudo aninhado à um ensaio clínico (Study Within A Trial – SWAT) objetiva avaliar e explorar dois formatos face a face diferentes (contextos individuais ou de grupo) para a entrega de resultados individuais a participantes do estudo “Treinamento físico combinado e educação em saúde para idosos com hipertensão arterial: um ensaio clínico randomizado e multicêntrico”, avaliando a compreensão, satisfação e bem-estar psicológico de curto prazo gerado por diferentes formatos de entrega. Assim, a amostra contemplará aproximadamente 27% dos participantes do Estudo HAEL, contabilizando um total de 50 participantes com as coletas realizadas no Centro Porto Alegre. Os participantes serão randomizados para dois grupos de disseminação dos resultados individuais: (1) formato face a face individual (pesquisador-participante); (2) face a face em grupo.

Em ambos os formatos, haverá entrega de documento padronizados com as informações de testes e exames. Para avaliação dos formatos de disseminação de resultados individuais, os participantes serão convidados a preencher um questionário autoaplicado em escala likert. O estudo fornecerá evidências para facilitar a transparência da comunicação e disseminação de resultados individuais de ensaios clínicos para a população idosa hipertensa. A comunicação efetiva pesquisador-participante por meio dos resultados do estudo é uma forma de reconhecer o papel vital que cada participante desempenha no processo científico e agregar valor à sua participação.Esta pesquisa é inédita no Brasil ao discutir a viabilidade de tornar linhas de cuidado prioritárias no Brasil orientadas a valor, tendo como objetivo principal propor um programa de gestão de saúde baseada em valor para a linha de cuidado do AVC isquêmico que permita orientar a gestão e alternativas de reembolso de saúde no Brasil. O estudo se fragmenta nas etapas de: desenvolvimento de método de avaliação de qualidade de entrega do serviço de saúde e desfechos; desenvolvimento de ferramenta de monitoramento de custos reais; e proposição de operacionalização de modelo de gestão por valor para os sistemas de saúde suplementar e público.

A linha de cuidado do AVC isquêmico foi definida como objeto de estudo e hospitais da Rede Brasil AVC que operam nos sistemas público e suplementar foram convidados para compor a amostra de instituições que tiveram seus dados financeiros e de desfechos de saúde dos pacientes analisados retrospectivamente. A amostra de 839 pacientes foi formada por todos os pacientes submetidos ao tratamento de AVC isquêmico ao longo de seis meses entre os anos de 2018 e 2019 em cada um dos hospitais. Medidas de desfecho que importam para os pacientes, de estado de saúde, de processos internos dos hospitais e de custos estão sendo analisadas, sendo o método de custeio baseado em atividades e tempo utilizado para a condução da avaliação de custos. A união das primeiras etapas permitirá a proposição do modelo de gestão de saúde baseado em valor, documentado em e 2 frameworks de valor, sendo um para o sistema de saúde pública e outro para suplementar. A proposição do modelo acompanhado da inteligência de coleta e análise de dados é compreendida como a forma de oportunizar a implementação em escala de práticas de gestão de saúde baseadas em valor no Brasil.

Os resultados da pesquisa no centro coordenador estão sendo consolidados e, para conduzir as análises de valor, o estudo categorizou os pacientes em grupos que consideraram o risco clínico em alto, médio ou baixo (com base no NIHSS e na idade do paciente) e a terapia utilizada (reperfusão ou antitrombótica).
O programa foi testado com dados de 274 pacientes tratados para o AVC isquêmico no centro estudado e entre os pacientes de alto risco, os tratados com terapias de reperfusão demonstraram desfechos melhores (mRS média: 3,9) do que os pacientes tratados com terapia antitrombótica (mRS média: 5). Além disso, no grupo de alto risco, o custo incremental pelo uso da terapia de reperfusão foi menor do o custo incremental da tecnologia observado em pacientes de médio ou baixo risco.

O programa VBHC desenvolvido com base nos dados da linha de cuidado do AVC isquêmico do centro estudado demonstra como as medidas corretas podem ser usadas para sustentar os benefícios do uso das melhores terapias para os pacientes certos, cruzando os resultados clínicos, de processos de recuperação e financeiros.
Atualmente a pesquisa está aplicando o mesmo programa em outros dois hospitais brasileiros o que permitirá identificar os benchmarks de cuidado e proporcionará um melhor conhecimento do custo dos cuidados do AVC no Brasil. Essas informações são essenciais para que modelos de remuneração baseados em valor possam ser redesenhados no sistema de saúde nacional. Por isso, entende-se que este estudo inova e inicia a jornada de transformação da linha de cuidado do AVC isquêmico no Brasil.
Visando maior transparência e responsabilidade com os participantes de pesquisa, a disseminação de dados de ensaios clínicos é considerado um dos processos de boa prática articulados pela Organização Mundial de Saúde. Compartilhar os resultados com indivíduos e o público leigo após a participação em um estudo é um imperativo ético. No entanto, a disseminação de resultados dos ensaios clínicos é geralmente realizada dentro da comunidade de saúde e os esforços de divulgação – além das publicações científicas – são limitados, com escassas recomendações quanto aos itens a serem incluídos na comunicação de dados e como divulgá-los.

Deste modo, o presente estudo aninhado à um ensaio clínico (Study Within A Trial – SWAT) objetiva avaliar e explorar dois formatos face a face diferentes (contextos individuais ou de grupo) para a entrega de resultados individuais a participantes do estudo “Treinamento físico combinado e educação em saúde para idosos com hipertensão arterial: um ensaio clínico randomizado e multicêntrico”, avaliando a compreensão, satisfação e bem-estar psicológico de curto prazo gerado por diferentes formatos de entrega. Assim, a amostra contemplará aproximadamente 27% dos participantes do Estudo HAEL, contabilizando um total de 50 participantes com as coletas realizadas no Centro Porto Alegre. Os participantes serão randomizados para dois grupos de disseminação dos resultados individuais: (1) formato face a face individual (pesquisador-participante); (2) face a face em grupo.

Em ambos os formatos, haverá entrega de documento padronizados com as informações de testes e exames. Para avaliação dos formatos de disseminação de resultados individuais, os participantes serão convidados a preencher um questionário autoaplicado em escala likert. O estudo fornecerá evidências para facilitar a transparência da comunicação e disseminação de resultados individuais de ensaios clínicos para a população idosa hipertensa. A comunicação efetiva pesquisador-participante por meio dos resultados do estudo é uma forma de reconhecer o papel vital que cada participante desempenha no processo científico e agregar valor à sua participação.

Status: Em andamento
Início: Dezembro/2019

Conclusão Prevista: Dezembro/2021
Eixo temático:
Serviços de Saúde e Políticas Públicas
Doenças cérebro vasculares


Eixo metodológico: Análises Econômicas
Modelos de gestão em saúde
Fonte de Fomento:
CAPES
FIPE
Instituição coordenadora:
IATS


Instituições participantes:
Hospital Moinhos de Vento
Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP)
Hospital São José de Joinville
Coordenação: 
Carisi Anne Polanczyk


Integrantes: 
Ana Paula Beck da Silva Etges
Sheila Cristina Ouriques Martins
Bruna Stella Zanotto
Ana Claudia de Souza
Leonardo Alves Ogliari
Luciane Nascimento Cruz
Eduardo Gabriel Cortes

Avner Dal Bosco e Ricardo Cardoso
Juliana Safanelli
Octavio Marques

Em Andamento