Variabilidade glicêmica como preditor de comportamentos de risco em simulador de direção em pacientes com diabetes mellitus tipo 1

Apresentação

A hipoglicemia é a definição de baixos níveis de glicose decorrente do tratamento com insulina do diabetes mellitus tipo 1. Em níveis mais severos pode provocar redução do nível de consciência no indivíduo. Por esse motivo, atividades de vida diária que envolvam risco, como o ato de dirigir, merecem atenção especial de equipes de saúde. Por essas razões, a hipoglicemia no paciente com diabetes mellitus tipo 1 pode ser considerada importante fator de risco para acidentes de trânsito nessa população, ocorrendo em até 52% destes, podendo determinar mortalidade, inclusive de terceiros. Pacientes com diabetes mellitus tipo 1 apresentaram incidência de 19% de acidentes automobilísticos durante dois anos de avaliação retrospectiva, o que representou maior frequência de eventos quando comparados a pacientes com diabetes mellitus tipo 2 ou com grupo controle. Essa população em estudo também demonstrou maior número de violações de trânsito, hipoglicemia com redução de consciência, necessidade de auxílio na direção ou mesmo episódios de hipoglicemia leve quando comparada aos grupos controle.

Os acidentes descritos foram diretamente relacionados a maior número de hipoglicemias enquanto dirigiam, ausência da verificação da glicemia antes de iniciar a dirigir e uso de insulina em múltiplas injeções diárias. Entretanto, não existe na literatura médica um valor mínimo ou máximo de glicemia considerado seguro para dirigir. Em portadores de diabetes, os simuladores de direção já vêm sendo usados por Daniel Cox e colaboradores há quase duas décadas para avaliar como a glicemia interfere nos comportamentos do condutor. O projeto tem como objetivo avaliar o impacto de alterações glicêmicas (hipoglicemia, hiperglicemia ou alta variabilidade glicêmica) como possíveis preditores de comportamentos de risco em condutores com diabetes mellitus tipo 1 em simulador de direção; Conhecer características da população alvo (pessoas com DM tipo 1) que possam auxiliar na avaliação dos pacientes com DM tipo 1 em real risco na direção; Avaliar níveis de hipoglicemia e frequência de episódios que determinem alterações comportamentais de risco durante a direção; Avaliar níveis de hiperglicemia e frequência de episódios que determinem alterações comportamentais de risco durante a direção; Avaliar níveis de variabilidade glicêmica e frequência de episódios que determinem alterações comportamentais de risco durante a direção.

Status: Em andamento
Início: Março/2019

Conclusão Prevista: sem definição
Eixo temático:
Hipertensão Arterial, Diabetes Mellitus, Obesidade, Terapias


Eixo metodológico: Pesquisas Epidemiológicas
Fonte de Fomento:
FIPE/HCPA
Instituição coordenadora:
UFRGS
Coordenador:
Beatriz D. Schaan (UFRGS/HCPA)

Integrantes: 
Maria Regina Fernandes

Rafaela Fenalti Salla (UFRGS/HCPA) 
Gabriela Heiden Teló (PUCRS)

Em Andamento