Efeito de probioticos, prebioticos ou simbioticos em desfechos metabólicos em indivíduos com diabetes: revisão sistemática e metanálise

Resenha do artigo:
Bock PM, Telo GH, Ramalho R, Sbaraini M, Leivas G, Martins AF, Schaan BD. The effect of probiotics, prebiotics or synbiotics on metabolic outcomes in individuals with diabetes: a systematic review and meta-analysis. Diabetologia. 2021 Jan;64(1):26-41. doi: 10.1007/s00125-020-05295-1. Epub 2020 Oct 13. PMID: 33047170.

Estudos recentes sugerem que a microbiota intestinal pode desempenhar um papel na obesidade, síndrome metabólica e diabetes mellitus. No diabetes do tipo 2 observa-se uma perda crescente de diversidade microbiana intestinal, o que pode ser relacionado relacionado à resistência à insulina e marcadores de inflamação circulantes aumentados.

Agentes bioativos que promovam a modulação da microbiota intestinal, como probióticos, prebióticos e simbióticos podem na prevenção e tratamento do diabetes. Probióticos são microorganismos vivos que quando administrados em quantidades adequadas podem conferir um benefício de saúde no hospedeiro, ou seja, microorganismos (como lactobacilos e bifidobactérias) que promovem inúmeros benefícios para a saúde. Existem também os prebióticos, substratos que são utilizados seletivamente pelos microrganismos do hospedeiro, conferindo um benefício para a saúde. Já o simbiótico é composto por uma combinação de probiótico com prebiótico.

Com a intenção de preencher a lacuna de conhecimento sobre o efeito dos probióticos, prebióticos e simbióticos na pessoa com diabetes mellitus tipo 2, foi realizada uma vasta busca na literatura, identificando mais de 5000 estudos candidados à entrarem na revisão. Destes, 38 estudos atenderam aos critérios necessários para entrarem na análise final.

O uso de probióticos, prebióticos e simbióticos foi associado com melhora em variáveis metabólicas de pessoas com diabetes mellitus tipo 2, incluindo a redução da glicemia de jejum, insulina, colesterol total e triglicerídeos, bem como aumento de HDL-colesterol. No entanto, a magnitude desse efeito é pequena, ou seja, tais adjuvantes jamais devem substituir o tratamento convencional de uma pessoa com diabetes. A grande contribuição do estudo foi sumarizar o potecial efeito do uso de probióticos, prebióticos e simbióticos como adjuvantes ao tratamento.

O financiamento por meio de bolsas de pós doutorado, mestrado e iniciação científica foi de suma importância para o desenvolvimento da pesquisa, uma vez que a realização de trabalho de tal magnitude consome tempo e dedicação somente possíveis com a participação de bolsistas de pesquisa.

Elaborada por
Patricia M. Bock
Gabriela H. Telo
Rafaela Ramalho
Mariana Sbaraini
Gabriel Leivas
Andreza F. Martins
Beatriz D. Schaan
Data da Resenha
30/04/2021
Eixo Temático
Hipertensão Arterial/Diabetes Mellitus/Obesidade/Terapias
Eixo Metodológico
Revisões Sistemáticas da Literatura