O custo do câncer de próstata metastático usando custeio baseado em atividade e tempo

Resenha do artigo:
Vargas Alves, R., Beck da Silva Etges, A., Tiscoski, K., De Lara, L., De Medeiros Zelmanowicz, A., & Polanczyk, C. (2021). The cost of metastatic prostate cancer using time-driven activity-based costing. International Journal of Technology Assessment in Health Care, 37(1), E60. doi:10.1017/S0266462321000271

Qual é o custo real de um paciente com câncer de próstata avançado para um hospital que atende SUS? Será que os repasses financeiros são suficientes para cobrir estes custos? Na verdade, o custo real do câncer de próstata metastático não é conhecido no serviço público de saúde. Além disso, os métodos de custeio utilizados em organizações hospitalares são arbitrários e ambíguos. Portanto, é difícil responder se os repasses são suficientes ou não para cobrir os gastos relacionados a essa doença. Nossos recursos financeiros cada vez mais são limitados. Se não temos o conhecimento real do custo, como podemos fazer uma gestão adequada? Por isso, temos que investir mais em técnicas de estimação de custos que venham responder essas perguntas com uma maior precisão.

O Time-Driven Activity-Based Costing (TDABC) é uma ferramenta que permite estimar o custo com maior acurácia. Por isso o objetivo deste projeto foi estimar o custo do câncer de próstata utilizando o método TDABC na perspectiva de um hospital filantrópico. Trata-se de uma análise econômica de uma coorte de pacientes com câncer de próstata metastático que fizeram uso de quimioterapia com Docetaxel, no SUS. O período avaliado foi de setembro de 2012 a maio de 2017. Os custos foram estimados pelo método de TDABC nas principais áreas que os pacientes frequentaram, durante o seu tratamento oncológico. Os custos diretos médicos foram estimados pelo método de microcusteio “bottom up”.

O custo mediano mensal por paciente foi de R$ 20.201. Gastos com o tratamento quimioterápico (34%), exames (30%) e internação hospitalar (26%) foram os que consumiram mais recursos. Esse foi o primeiro estudo no Brasil que estimou o custo do câncer de próstata no SUS utilizando a técnica do TDABC. Além dos resultados financeiros mais próximos da realidade, o estudo mostrou que é factível utilizar a técnica TDABC para avaliar o câncer em todas as suas áreas assistenciais envolvidas. Também é importante salientar que para o gestor a técnica do TDABC pode vir a propiciar o conhecimento de várias oportunidades de melhorias no processo de cuidado do paciente.

A importância do financiamento da pesquisa está em viabilizar o acesso a grandes experts no assunto que possam orientar a melhor condução do projeto. Além disso, o apoio técnico para redação do artigo e posterior publicação também foram importantes para o desenvolvimento da pesquisa.

Elaborada por
Rafael J. Vargas Alves
Ana Paula Beck da Silva Etges
Data da Resenha
01/05/2021
Eixo Temático
Outras Doenças Não-Transmissíveis
Eixo Metodológico
Análises Econômicas